quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Igreja Católica está Vacante!


16h do Brasil, 20h de Roma, a Igreja Católica está oficialmente vacante.
Depois de 600 anos um Papa renuncia ao Governo da Igreja.
Bento XVI agora Papa Emérito residirá em Castel Gandolfo até a reforma do mosteiro que o abrigará no Vaticano até o fim de sua vida.
O Anel do Pescador foi quebrado, o Palácio foi lacrado.
Quem "responde" pela Igreja até a Eleição do Novo Papa é o Cardeal Tarcísio Bertone que é o Camerlengo.
Lembrando que não se deve mais rezar pelo Papa na Oração Eucarística, muito menos rezar pelo Camerlengo, pelo Colégio dos Cardeais ou pelo Papa à ser eleito. Se reza apenas pelo Bispo.

Segue abaixo um texto do Padre Marcelo Tenório:

A Sede de Pedro está Vacante


Eis que é chegado o dia!
Dia histórico para a Igreja de Cristo e para todo o mundo, católico ou não!
Um Papa, depois de Celestino V, renuncia à Sede petrina.
Não é covardia. Pelo contrário. É extrema coragem.
O Trono, a glória, os suíços.
Todo o teu temporal não são capazes de te prender por entre os mármores de Pedro?
Sobre ti estão os olhares da humanidade, e tu recusas o poder?
Como novo Celestino entendes a hora de descer e,
livremente desces.
É próprio de quem é Grande, a descida.
Só os Grandes descem.

Pedro, Bento, nós te agradecemos!
No Brasil é a décima sexta hora, em Roma a vigésima.
Hora que se rasga o véu de Pedro.
A Cátedra está vazia!
Lembro-me da tristeza com a morte de João Paulo II,
mas agora é uma santa alegria pelo testemunho silencioso de Bento.
Agora vemos um bispo; um bispo vestido de branco.
Sem sua mantelete, sem a mozeta tingida de sangue.
Sê bendito, nosso Papa emérito, o silêncio e a oração são teus companheiros!

Já não mais pescas; seu anel foi-se perdido;
O Camerlengo o viu pela última vez.
Não pesca, mas ajuda a recolher os peixes!
Ajudas porque sabes: o Mestre está no barco!
Ainda é nosso guia; guia e mestre da oração.
Ensinou-nos a olhar os primeiros Padres;
nos conduziu através das sendas da perene doutrina de Cristo.
Nos fez vislumbrar a glória da Liturgia na simplicidade e na continuidade.

Anel quebrado; Palácio lacrado.
Roma é tomada pelos príncipes.
As pinturas e o Juízo final são preparados para receber os purpurados;
e o futuro Pontífice!
Vamos à Missa Pro eligendo Romano Pontifice?
Por idade, Sodano não preside a reunião “entre chaves”.
Batista Ré toma seu lugar!
E Bento? Até abril fica em Gandolfo.
Parece que gosta deste lugar! Ora et labora.
E depois?
Maria Mater Ecclesiae o acolherá!

A partir desta hora estamos órfãos, mas não sem pai!
Bento continua a nos guiar pela sua oração e testemunho.
Esperamos o novo Pontífice, mas não nos esqueceremos do emérito.
Obrigado, Bento!

Não desces, mas sobes!
Ó vós que sentis com a Igreja,
Olhai o papa que desce!
Que desce para o Alto!
Reconhecemos tua força e bradamos:
Viva o Papa!

Trechos do texto de Pe. Marcelo Tenório.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Jovens brasileiros lançam site de orações pela Igreja


Brasília (RV) - Inspirados nas palavras do Papa, cinco jovens brasileiros lançaram domingo, 24, um site que reúne orações de jovens do mundo inteiro pelo bem da Igreja e de seu futuro líder. 

“Confiamos a Igreja aos cuidados de seu maior Pastor, Nosso Senhor Jesus Cristo, e suplicamos a Maria, sua Santa Mãe, que assista com sua materna bondade os padres cardeais ao eleger o novo sumo Pontífice” – disse Bento XVI nos últimos dias.

A iniciativa, chamada “Unidos no Conclave”, é voltada aos jovens de todo o mundo, e convida a presentear com um ramo ‘espiritual’ os cardeais eleitores. 

O ‘ramo espiritual’ consiste em oferecer missas, orações, vias-sacras, jejuns e outros sacrifícios a uma pessoa estimada. Segundo Priscila Alvim, 30 anos, o gesto recorda o jovem Juan Diego que ofereceu rosas a bispo Juan de Zumárraga a pedido da Virgem de Guadalupe, Padroeira das Américas.

A iniciativa reforça a importância da oração, especialmente no período da Quaresma, tempo perfeito para a oração e penitência, a fim de interceder por nossos cardeais e pelo bem da Igreja. 

Como funciona? 

Ao acessar o site, o jovem pode se registrar e ‘atualizar’ seu ramo espiritual, dedicando suas intenções a um cardeal eleitor, escolhido aleatoriamente. No final, todas as orações oferecidas serão levadas aos cardeais, antes da eleição do novo pontífice.

“A meta é levar as pessoas à prática da oração e demonstrar publicamente a atenção dos jovens pelos cardeais”, garante Vinicius Andrade, 26 anos. “E difundir a jovialidade da Igreja no ano em que se celebra a JMJ no Rio de Janeiro”.

O site está disponível em português, espanhol e inglês: www.1conclave.com.
(CM)
Fonte: Rádio Vaticano


* Estou rezando pelo Cardeal Roger Michael Mahony, 76 anos, nasceu em Hollywood, Estados Unidos. É o Arcebispo emérito de Los Angeles (EUA). Criado e proclamado Cardeal pelo Papa João Paulo II no Consistório de 28 de junho de 1991. Participou do Conclave que elegeu Bento XVI.

Título, vestes e anel de Bento XVI: eis as respostas


Cidade do Vaticano (RV) – O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, realizou na manhã desta terça-feira mais uma coletiva de imprensa, em que esclareceu algumas das muitas dúvidas dos jornalistas.

Uma delas é sobre como Bento XVI será chamado a partir do dia 28 de fevereiro. A resposta é: continuará a chamar-se Sua Santidade Bento XVI, mas foi escolhido também Papa Emérito ou Romano Pontífice Emérito.

Sobre as vestes: branca, simples, sem mantelete. Não são mais previstas os sapatos vermelhos. “Parece que o Papa ficou muito satisfeito com os sapatos que lhe presentearam no México, em Leon”, disse Pe. Lombardi.

Não usará mais o anel do pescador, para o qual o Camerlengo, com o decano, darão o fim que a Constituição prevê.

Sobre o dia de hoje, o Papa o transcorrerá em oração e preparação para a transferência a Castel Gandolfo. 

Para a Audiência Geral de quarta-feira, foram distribuídos 50 mil bilhetes. Prevê-se o mesmo esquema: um amplo giro com o papamóvel. Não terá lugar o “beija-mão” – este será feito após a Audiência Geral, na Sala Clementina, para algumas autoridades, como o Presidente da Eslováquia, o Presidente da região da Baviera. 

Quinta-feira, às 11h, haverá a saudação aos Cardeais, com o discurso do Decano no início. Às 16h55 (hora local), a partida de carro do pátio de São Dâmaso, saudação dos superiores. No heliporto, haverá a saudação do Cardeal Decano. Às 17h15, a chegada a Castel Gandolfo, onde estarão presentes o Bispo de Albano e outros autoridades. Às 17h30, no Pátio interno o Papa saúda os fiéis – a última saudação pública do Santo Padre. Às 20h, a Guarda Suíça, fecha a porta do Palácio Apostólico, encerrando o serviço para o Papa como chefe da Igreja.
(BF)
Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Motu Proprio de Bento XVI sobre as mudanças no Conclave



Com a Carta Apostólica De aliquibus mutationibus in normis de electione Romani Pontificis, dado como Motu Proprio em Roma, de 11 de junho de 2007, no terceiro ano do meu Pontificado, estabeleci algumas normas que, suspendendo aquelas prescritas no número 75 da Constituição Apostólica Universi Dominici gregis promulgada em 22 de fevereiro de 1996 por meu Predecessor o Beato João Paulo II, que restabeleceram a norma, sancionada da tradição, segundo a qual para a válida eleição do Pontífice Romano é sempre requerida a maioria de dois terços dos votos dos Cardeais eleitores presentes.
Considerada a importância de assegurar o melhor desenvolvimento de quanto afeta, também com variado relevo, a eleição do Potífice Romano, em particular uma mais certa interpretação e atuação de algumas disposições, estabeleço e prescrevo que algumas normas da Constituição apostólica Universi Dominici gregis e quanto eu mesmo dispus na supracitada Carta apostólica serão substituída pelas normas que seguem:
n. 35. “Nenhum Cardeal eleitor poderá ser excluído da eleição seja ativa ou passiva por nenhum motivo ou pretexto, endosso permanecendo o que prescrito no n. 40 e no n. 75 desta Constituição.”
n. 37. “Ordeno além disto que, do momento no qual a Sé Apostólica seja legitimamente vacante, se esperem por quinze dias inteiros os ausentes antes de iniciar o Conclave; deixo contudo ao Colégio dos Cardeais a faculdade de prolongar, se existem motivos graves, o início da eleição por alguns outros dias. Transcorrendo porém, o máximo, vinte dias do início da Sé vacante, todos os Cardeais eleitores presentes são responsáveis de proceder a eleição.”
n. 43. “Do momento no qual estiver disposto o início das operações da eleição, até o anúncio público da esperada eleição do Sumo Pontífice ou, mesmo que, até quando assim se tiver ordenado o novo Pontífice, o local da Domus Sanctae Martha, como também e de modo especial a Capela Sistina e os ambientes destinados às celebrações litúrgicas, devem ser fechados, sob a autoridade do Cardeal Carmelengo e com a colaboração externa do Vice Carmelengo e do Substituto da Secretaria de Estado, às pessoas não autorizadas, segundo quanto estabelecido nos números seguintes.
O Território inteiro da Cidade do Vaticano e também a atividade ordinária dos Ofícios com sede dentro do seu âmbito devem ser controladas, por um período nomeado, de modo a assegurar a reservada e o livre desenvolvimento de todas as operações ligadas à eleição do Sumo pontífice. Em particular se deverá providenciar, também com a ajuda dos Prelados Clérigos de Aposento, que os Cardeais eleitores não se aproximem de ninguém durante o percurso da Domus Sanctae Marthae ao Palácio Apostólico Vaticano.”
n. 46, 1° inciso. “Para vir de encontro com as necessidades pessoais e do ofício ligadas ao desenvolvimento da eleição, devem ser disponibilizados e então convenientemente acomodados em lugar apropriado entre os limites do qual o n. 43 da presente Constituição, o Secretário do Colégio Cardinalício, que atua como Secretário da assembleia eleitora; o Mestre de Celebrações Litúrgicas Pontifícias com oito Cerimoniários e dois Religiosos juntos à Sacristia Pontifícia; um eclesiástico escolhido pelo Cardeal Decano ou do Cardeal que faz as vezes deste, para que o assista no próprio cargo.”
n. 47. “todas as pessoas elencadas no n. 46 e no n. 55, 2° inciso da presente Constituição apostólica, que por qualquer que seja o motivo e em qualquer tempo vier ao conhecimento de qualquer um que direta ou indiretamente afeta os atos próprios da eleição e, de modo particular, de quanto afeta os escrutínios acontecidos na mesma eleição, são obrigados a estrito segredo com qualquer pessoa estranha ao Colégio dos Cardeais eleitores: para tal propósito, antes do início das operações de eleição, devem prestar juramento segundo a modalidade e a fórmula indicada no número seguinte.”
n. 48. “As pessoas indicadas no n. 46 e no n. 55, 2º inciso da presente Constituição, antecipadamente informadas do seu significado e a extensão do juramento a ser realizado, antes das operações da eleição, diante do Cardeal Carmelengo e de outro Cardeal por ele delegado, na presença de dois Protonotários Apostólicos de número Participante, no tempo devido devem pronunciar e assinar o juramento segundo a fórmula seguinte:
Eu N.N. prometo e juro observar o segredo absoluto com qualquer um que não faça parte do Colégio Cardinalício eleitor, e isto em perpétuo, ao menos que receba especial possibilidade dada expressamente pelo novo Pontífice eleito ou por seus Sucessores, acerca de tudo que afeta direta ou indiretamente às votações e aos escrutínios para a eleição do Sumo Pontífice. Prometo igualmente e juro de abster-me de usar qualquer instrumento de registro de áudio ou vídeo, de quanto, no período de eleição, se desenvolve entre o âmbito da Cidade do Vaticano, e particularmente de quanto direta ou indiretamente de qualquer modo haja afinidade com as operações ligadas com a mesma eleição.
Declaro pronunciar este juramento, consciente que a infração deste implicará a mim a pena compatível com a de excomunhão “latae sententiae””.
n. 49. “Celebrada segundo os ritos prescritos as exéquias do defunto Pontífice, preparado quando é necessário para regular o desenvolvimento da eleição, o dia estabelecido, ao termino do n. 37 da presente Constituição, para o início do Conclave todos os Cardeais se reunirão na Basílica de São Pedro no Vaticano, ou em outro lugar segundo a oportunidade e as necessidades de tempo e de lugar, para tomar parte de uma solene celebração eucarística com a Missa votivapro eligendo Papa (19). Isto deverá ser cumprido possivelmente em uma hora da manhã, de forma que a tarde de desenvolva quanto prescrito nos números seguintes da mesma Constituição.”
n.50. “Da Capela Paulina do Palácio Apostólico, onde estarão recolhidos em horário conveniente da tarde, os Cardeais eleitores em hábito coral se dirigirão em solene procissão, invocando com canto do Veni Creator a assistência do Espírito Santo, à Capela Sistina do palácio Apostólico, lugar e sede do desenvolvimento da eleição. Participarão da procissão o Vice Carmelengo, o Auditor Geral da Camera Apostólica e dois membros quaisquer dos Colégios dos ProtonotáriosApostólicos de Número Participante, dos Prelados Auditores da Rota Romana e dos Prelados Cléricos de Câmara”.
n. 51, 2° inciso. “Será portanto cuidado do Colégio Cardinalício, cumprir sobre a autoridade e a responsabilidade do Carmelengo com a ajuda das Congregações particulares das quais o n. 7 da presente Constituição que no interno da dita Capela, e dos locais adjacentes, tudo seja previamente disposto, também com a ajuda do externo do Vice Carmelengo e do Substituto da Secretaria de Estado, de maneira que a regular eleição e a discrição reservada desta sejam tuteladas.”
n. 55. 3º inciso. “Se descobrir-se uma fração desta regra, saibam os autores que estarão sujeitos à pena de excomunhão latae sententiae reservada à Sede Apostólica”.
n. 62. “Abolidos os modos de eleição chamados per acclamationem seu inspirationem e per compromissum, a forma de eleição do Romano Pontífice será, de agora em diante, unicamenteper scrutinium.
Estabeleço, portanto, que para a válida eleição do Romano Pontífice se requerem, pelo menos, dois terços dos votos, calculados sobre a totalidade dos eleitores presentes e votantes”.
n. 64. “O procedimento do escrutínio desenvolve-se em três fases, a primeira das quais, que se pode chamar pré-escrutínio, compreende: 1) a preparação e a distribuição das papeladas por parte dos Cerimoniários, chamados à Sala junto com o Secretário do Colégio de Cardeais e com o Maestro das Celebrações Litúrgicas Pontifícias – que entregam pelo menos duas ou três à cada Cardeal eleitor; 2) a extração por sorteio, entre todos os Cardeais eleitores, de três Escrutadores, de três encarregados de recolher os votos dos doentes, chamados Infirmarii, e de três Revisores; este sorteio é realizado publicamente pelo último Cardeal Diácono, o qual extrai seguidamente os nove nomes de quem deverão desenvolver tais funções; 3) se na extração dos Escrutadores, dosInfirmarii e dos Revisores, saíssem os nomes de Cardeais eleitores que, por doença ou outro motivo, estão impedidos de levar a cabo estas funções, em seu lugar extrair-se-ão os nomes de outros não impedidos. Os três primeiros extraídos atuarão de Escrutadores, os três segundos de Infirmarii e os outros três de Revisores”.
n. 70. 2º inciso. “Os Escrutadores fazem a soma de todos os votos que cada um tem obtido, e se nenhum tiver atingido ao menos os dois terços dos votos naquela votação, o Papa não foi escolhido; no entanto, se resulta que algum tenha obtido ao menos os dois terços, se tem canonicamente válida a eleição do Romano Pontífice”.
n. 75. “Se realizassem em vão os escrutinios que se indicam nos números 72, 73 e 74 da indicada Constituição, se tenha um dia dedicado à oração, a reflexão e ao diálogo; nas seguintes votações, observado a ordem estabelecida no número 74 da Constituição, somente terão voz passiva os dois nomes que no escrutínio precedente tenham obtido a maioria dos sufrágios, sem a afastar da norma de que também nestas votações, para a validade da eleição, requer-se a maioria qualificada, ao menos dois terços dos sufrágios dos Cardeais presentes e votantes. Nestas votações os dois nomes que têm voz passiva carecem de voz ativa”.
n. 87. “Realizada a eleição canonicamente, o último dos Cardeais Diáconos chama à sala da eleição ao Secretário do Colégio dos Cardeais, ao Maestro das Celebrações Litúrgicas Pontifícias e a dois cerimoniários; depois, o Cardeal Decano, ou o primeiro dos Cardeais por ordem e antiguidade, em nome de todo o Colégio dos eleitores, pede o consentimento do eleito com as seguintes palavras: Aceita sua eleição canônica para Sumo Pontífice? E, uma vez recebido o consentimento, pergunta-lhe: Como queres ser chamado? Então o Maestro das Celebrações Litúrgicas Pontifícias, atuando como notário e tendo como testemunhas à dois Cerimoniários, levanta a ata da aceitação do novo Pontífice e do nome que escolheu”.
Este documento entrará em vigor imediatamente após sua publicação em “L’Osservatore Romano”.
Isto decido e estabeleço, não obstante qualquer disposição contrária.
Dado em Roma, ao lado de São Pedro, no dia 22 de fevereiro, no ano 2013, oitavo de meu Pontificado.
Benedictus XVI
Fonte: Rádio Vaticano

Cai para 115 o número de Cardeais Eleitores no Conclave



Cardeal Escocês não Participará

A sala de imprensa da Santa Sé comunicou nesta segunda-feira, 25, a renúncia do Cardeal Keith Michael Patrick O’Brien, da arquidiocese de Santo André e Edimburgo, na Escócia, por ter alcançado o limite de idade. Com a renúncia, o número de Cardeais eleitores no Conclave cai de 116 para 115.
O purpurado, em um comunicado difundido pela Conferência Episcopal da Escócia, anunciou que não participará do próximo Conclave para que a atenção da mídia não seja voltada à sua pessoa.
“Olhando para os meus anos de ministério – escreve – por qualquer bem que pude fazer, agradeço a Deus. Por eventuais erros, desculpo-me com todos aqueles que eu tenha ofendido”.
Cardeal O’Brien manifestou ainda seu agradecimento ao Papa Bento XVI, que aceitou sua renúncia em 18 de fevereiro. “Peço também a benção de Deus sobre meus irmãos Cardeais que logo se reunirão em Roma para eleger o seu sucessor … rezarei com eles e por eles para que, iluminados pelo Espírito Santo, façam a escolha certa para o futuro bem da Igreja”.
Inicialmente, seriam 117 cardeais votantes. Porém, no último dia 21, o número já havia caído para 116, com a renúncia do Cardeal Julius Riyadi Darmaatmadja,78 anos, arcebispo emérito de Jacarta, Indonésia, por motivos de saúde física.
Fonte: Rádio Vaticano

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Bento XVI nomeia mais dois novos bispos para o Brasil



Monsenhor Marco Gubiotti - Nomeado Bispo Diocesano de Itabira - Coronel Fabriciano - MG

Monsenhor Gabriele Marchesi - Nomeado Bispo Diocesano de Floresta - PE

A Nunciatura Apostólica no Brasil comunicou que o Papa Bento XVI nomeou mais dois novos bispos para o Brasil nesta quinta-feira, 21. Acolhendo a renúncia de Dom Odilon Guimarães Moreira, foi nomeado o padre Marco Aurélio Gubiotti como bispo da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano (MG). E para a vacante diocese de Floresta (PE), foi nomeado bispo o padre Gabriele Marchesi.

Padre Marco Aurélio Gubiotti é mineiro de Ouro Fino (MG), e tem 49 anos. Cursou filosofia no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre e teologia no Instituto Teológico Sagrado Coração de Jesus, em Taubaté (SP). Foi ordenado presbítero em 1989, e exerceu a missão paroquial nas cidades de Brasópolis, Jacutinga, Tocos do Mogi, Bela Vista e Santa Rita do Sapucaí. Obteve o título de Mestre em Estudos Bíblicos pela Faculdade Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo (SP). Colaborou com a formação no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre e foi diretor do Instituto Teológico Interdiocesano São José (2000 a 2005) e da Faculdade Católica de Pouso Alegre (2006 a 2009). Atualmente, padre Marco Aurélio era pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Pouso Alegre.

Padre Gabriele Marchesi nasceu em Incisa Valdarno, na Itália, e tem 59 anos. Cursou filosofia no seminário diocesano de Fiesole, e  teologia em Fiorentino. Ordenado sacerdote em 1978, atuou como pároco na diocese de Fiesole até 2003, quando veio para o Brasil. Desde então, está na diocese de Viana (MA) como sacerdote “Fidei Donum”. Atualmente, era o pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora do Rosário na cidade de Pedro do Rosário (MA), e também o coordenador de pastoral da diocese.
Fonte: CNBB

Cardeal indonésio não irá participar do Conclave


Serão 116 e não 117, como esperado a partir da lista oficial, o número dos cardeais eleitores que irão escolher o futuro Pontífice. 

O Cardeal Julius Riyadi Darmaatmadja, 78 anos, arcebispo emérito de Jacarta, Indonésia, anunciou que não irá participar do Conclave, segundo informou nesta quinta-feira, 21, a agência AsiaNews. 

Dom Julius alegou problemas de saúde física e afirmou que sua opção é "livre e pessoal". 

Contatado por telefone na casa jesuíta Emmaus, um local de repouso para sacerdotes idosos e prelados, em Ungaran, uma cidade ao centro de Java, o cardeal destacou a "deterioração progressiva" de sua condição física, desde que ele deixou a arquidiocese da capital, ao completar 75 anos. 

"A principal dificuldade é a vista", disse ele em voz baixa, à AsiaNews. A incapacidade de ler textos e documentos é um obstáculo muito grande para trabalhar de forma independente e serena. 

"Estou convencido", disse o cardeal, "não ser capaz de me sentar com os outros cardeais e votar para o novo Papa, por isso eu decidi não ir a Roma para esse evento muito importante e histórico para a Igreja". 

Ele acrescentou ainda que "compreende plenamente" a decisão do Papa Bento XVI de renunciar ao Pontificado por motivo de saúde. "Uma experiência que vivi na minha pele, quando era arcebispo de Jacarta e decidi renunciar quando atingi 75 anos", porque para ser bispo de uma cidade metropolitana é necessário "estar boa saúde física". 

Em conclusão, o cardeal confessa seu "profundo pesar" pela impossibilidade física de ir a Roma e participar do Conclave, mas está convicto da decisão, que tem como certa, também para não "quebrar o protocolo" e dificultar o trabalho da assembleia cardinalícia. 
Fonte: Canção Nova

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Papa nomeia bispo auxiliar de Curitiba



Monsenhor José Angonese - Nomeado Bispo Auxiliar de Curitiba - PR

O Papa Bento XVI nomeou nesta quarta-feira, 20, um novo bispo auxiliar para Curitiba (PR). Trata-se do Monsenhor José Mário Scalon Angonese, atualmente pároco da Paróquia da Ressurreição e Reitor do Seminário Maior de Santa Maria (RS).

A Nunciatura Apostólica comunicou a nomeação lembrando que o Santo Padre atendeu ao pedido do arcebispo de Curitiba, Dom Moacyr José Vitti, de poder contar com um colaborador e acrescentou que a notícia foi publicada no jornal vaticano L’Osservatore Romano desta quarta-feira, às 12h, no horário de Roma.

O novo bispo é gaúcho de Unistalda. Seus pais são Roberto Antônio Angonese e Henrica Scalon Angonese. Monsenhor José Mário recebeu formação institucional em Filosofia e Teologia em Viamão (RS) e se especializou em Psicopedagogia. Foi incardinado na Diocese de Santa Maria em 1988 e ordenado sacerdote por Dom Ivo Lorscheiter, em 1989, na também cidade gaúcha de Nova Esperança do Sul.

Como padre, Monsenhor José Mário desempenhou as seguintes atividades: assistente no Seminário São José e promotor vocacional de 1990 a 2002; diretor espiritual do mesmo Seminário no período de 1991 a 1998. No ano de 1995, trabalhou por 6 meses na diocese de Cruz Alta (RS), como pároco da Paróquia da Natividade, na cidade Ijuí. Tornou-se Reitor do Seminário São José em 1999 e permaneceu nesse serviço até 2001, quando foi nomeado pároco da Paróquia Santíssima Trindade, em Nova Palma, até 2011, quando foi transferido e tornou-se pároco da Paróquia da Ressurreição, em Santa Maria.

Dom Orani é eleito presidente da Rede Vida de Televisão


Nesta terça-feira, 19, o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, foi eleito como novo presidente da Rede Vida de Televisão, em assembleia do Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (INBRAC), em São Paulo.

Dom Orani foi eleito por aclamação e tem mandato até o dia 6 de junho de 2014. O Arcebispo completa o mandato de Dom Antônio Mucciolo na presidência do Conselho Superior da Rede Vida. O jornalista Monteiro Filho foi eleito vice-presidente.

O Cardeal de São Paulo, Dom Odilo Scherer, participou como conselheiro da reunião de eleição de Dom Orani nesta terça, na capital paulista. 

Votaram igualmente na assembleia os jornalistas Monteiro Filho e Monteiro, Antônia Mucciolo, Dom Paulo Mendes de Almeida, Dom Fernando Figueiredo e Luiz Antônio Monteira. 
Fonte: RedeVida

Conclave terá 19 cardeais da América Latina



De acordo com estatísticas do Colégio Cardinalício publicadas pela Sala de Imprensa da Santa Sé, a América Latina conta com 19 Cardeais que participarão do Conclave que elegerá o próximo Papa.
O maior número de cardeais na América Latina pertence ao Brasil com cinco eleitores. Logo depois vem o México com três e a Argentina com dois. Colômbia, Chile, Venezuela, Honduras, República Dominicana, Cuba, Peru, Bolívia e Equador, possuem um Cardeal em cada um dos países.

Os Cardeais latino-americanos que participarão do Conclave são:
Do Brasil: Dom Geraldo Majella Agnello, Arcebispo emérito de Salvador (BA); Dom Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo de Aparecida (SP); Dom João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica e Arcebispo emérito de Brasília (DF); Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo (SP); Dom Cláudio Hummes OFM, Prefeito emérito da Congregação para o Clero e Arcebispo emérito de São Paulo (SP).
Do México: Dom Juan Sandoval Íñiguez, Arcebispo emérito de Guadalajara; Dom Norberto Rivera Carrera, Arcebispo do México; Dom Francisco Robles Ortega, Arcebispo de Guadalajara.
Da Argentina: Dom Jorge Mario Bergoglio, Arcebispo de Buenos Aires; Dom Leonardo Sandri, Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais.
Da Colômbia: Dom Rubén Salazar Gómez, Arcebispo de Bogotá.
Do Chile: Dom Francisco Javier Errázuriz Ossa (Padres de Schoenstatt), Arcebispo emérito de Santiago.
Da Venezuela: Dom Jorge Liberato Urosa Savino, Arcebispo de Caracas.
De Honduras: Dom Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga SDB, Arcebispo de Tegucigalpa.
Da República Dominicana: Dom Nicolás de Jesús López Rodríguez, Arcebispo de Santo Domingo.
De Cuba: Dom Jaime Lucas Ortega y Alamino, Arcebispo de San Cristóbal de La Habana.
Do Peru: Dom Juan Luis Cipriani Thorne, Arcebispo de Lima.
Da Bolívia: Dom Julio Terrazas Sandoval C.SS.R., Arcebispo de Santa Cruz de la Sierra.
Do Equador: Dom Raúl Eduardo Vela Chiriboga, Arcebispo emérito de Quito.
Fonte: Gaudium Press

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Diocese de Piracicaba cria página no Facebook


A Diocese de Piracicaba agora tem mais uma ferramenta para ficar junto de seus fiéis, se trata de uma página oficial no Facebok:


https://www.facebook.com/pages/Diocese-de-Piracicaba/142337345928245

Pedimos a colaboração de todos para divulgação deste novo meio de evangelização.
Curtam, Compartilhem, Divulguem

Conhecendo a Diocese de Piracicaba:
Criação: 26/02/1944 pelo Papa Pio XII através da Bula "Vigil Campinensis Ecclesiae"
Instalação: 11/06./1944
Padroeiro: Santo Antonio
Municípios: 15 - Águas de São Pedro, Capivari, Charqueada, Corumbataí, Ipeúna, Mombuca, Piracicaba, Rafard, Rio Claro, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Bárbara D'Oeste, Santa Gertrudes, Santa Maria da Serra e São Pedro.
Regiões Pastorais: 7 - Capivari, Piracicaba I, Piracicaba, II, Piracicaba III, Rio Claro, Santa Bárbara e São Pedro.
Bispos: Dom Paulo de Tarso Campos ( Administrador Apostólico 1944-1945 +1970), Dom Ernesto de Paula (1º Bispo Diocesano 1945-1960 +1995), Dom Aníger Francisco de Maria Melillo (2º Bispo Diocesano 1960-1980[4] +1985), Dom Eduardo Koaik (3º Bispo Diocesano 1980[4] - 2002 +2012), Dom Moacyr José Vitti (4º Bispo Diocesano 2002-2004 Atual Arcebispo de Curitiba) e Dom Fernando Mason (5º Bispo Diocesano 2005 - Atualidade)
Compreende 61 Paróquias e 5 Quase - Paróquias
Santuários Marianos: 2 - Nossa Senhora dos Prazeres - Piracicaba e Nossa Senhora da Assunção e Boa Morte - Rio Claro
Extensão Territorial: 4.676 km²
População: 915 mil habitantes

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Conclave poderá começar antes da metade de março



O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, abriu a coletiva deste sábado transmitindo a saudação do Papa aos jornalistas. O porta-voz vaticano confirmou o encontro privado desta tarde entre Bento XVI e o premier italiano Mario Monte. Na parte da manhã, o Santo Padre recebeu o Presidente da Guatemala, Otto Perez Molina (foto).
Neste domingo, no Angelus, também o prefeito de Roma estará na Praça São Pedro com os vereadores e o estandarte da cidade. Na coletiva, Padre Lombardi não descartou a possibilidade de o Conclave ter início antes da metade de março, se todos os cardeais tiverem chegado ao Vaticano.
A partir do dia 28 de fevereiro, o Papa habitará na residência pontifícia de Castel Gandolfo, onde provavelmente permanecerá por dois meses, o tempo necessário para a restauração do mosteiro de clausura, no Vaticano, para onde se transferirá. Trata-se de uma decisão de estar perto da Basílica de São Pedro, por motivos de caráter "logístico organizativo, de comunhão, de apoio de continuidade espiritual com o seu sucessor".
Com relação aos exercícios espirituais, que se iniciarão neste domingo às 18h locais, explicou que o Santo Padre não terá atividades públicas e que dom Georg Gaenswein (seu secretário particular) terá com ele, como de costume, um breve encontro para tratar das "incumbências mais urgentes".
No sábado, dia 23, pela manhã, será a conclusão da semana de retiro e oração. Três meditações diárias do pregador dos exercícios espirituais da Quaresma deste ano, Cardeal Gianfranco Ravasi, serão difundidas pela Rádio Vaticano mediante podcast; cada noite uma das meditações será transmitida; todas elas serão resumidas na newsletter da Rádio Vaticano. Sucessivamente serão publicadas em versão integral.
Foi confirmado que ao término dos Exercícios espirituais terá lugar o encontro, ainda a ser estabelecido se público ou privado, com o Presidente da Itália, Giorgio Napolitano.
E referindo-se aos próximos dias 27 e 28, Pe. Lombardi acrescentou: "Já se tem a confirmação de 35 mil pessoas para a audiência geral do dia 27 e, naturalmente, a cifra aumentará. Os fiéis e as autoridades poderão saudar o Santo Padre nesta última ocasião de presença pública do Pontífice. Já no dia 28, por sua vez, como dissemos, haverá o encontro com o Colégio cardinalício e a partida na parte da tarde para Castel Gandolfo."
Pe. Lombardi disse ainda que na tarde do dia 28 de fevereiro, em Castel Gandolfo, aonde o Papa chegará de helicóptero, haverá um momento de saudação aos habitantes da cidadezinha do Lácio. Em seguida, o porta-voz falou sobre notícias difundidas nestes dias na imprensa relacionadas aos colóquios entre Bento XVI e Peter Seewald, o biógrafo que realizou com o Papa o livro-entrevista "Luz do mundo". Segundo Lombardi, são informações não particularmente novas, relacionadas a dois colóquios, o último deles entre novembro e dezembro passados, mantidos com Bento XVI em vista de uma biografia.
Voltando ao Conclave, reiterou que o mesmo poderia ter início, se todos os cardeais já tiverem chegado ao Vaticano, antes do anunciado 15-20 de março; prazo este sucessivo ao início da sé vacante, estabelecido no caso de morte de um Pontífice. "Na Constituição se diz entre 15 e 20 dias, porém o prazo 'é de espera', ou seja, para dar àqueles que precisassem, o tempo necessário para chegar ao Vaticano. Na eventualidade de os cardeais estarem todos aqui, se poderia interpretar a Constituição de modo diferente."
Perguntado sobre a renúncia do Papa e sobre a nota editorial para a Rádio Vaticano em que o próprio Pe. Lombardi falou de "ato de governo do Santo Padre", especificou: "Porque se coloca numa perspectiva, como ele disse repetidamente, em que a Igreja segue adiante, em que a Igreja tem as suas energias. O Papa olha para a eleição de um sucessor que tenha – como ele disse - vigor no corpo e no ânimo, e uma personalidade que possa enfrentar os desafios do nosso tempo no modo adequado, o que ele sentia mais difícil com o passar do tempo e com o diminuir das forças."
Por fim, perguntado sobre a recente nomeação da cúpula do Instituto das Obras Religiosas (Ior), padre Lombardi disse que o novo e o Conselho de Supervisão – do qual Ernst Von Freyberg passou a fazer parte – terão vencimento em 2015.
Fonte: Rádio Vaticano

Oração, Letra, Hino e Cartaz da Campanha da Fraternidade 2013


Campanha da Fraternidade 2013 
Tema: Fraternidade e Juventude
Lema: "Eis-me aqui, envia-me!" (Is 6,8)

Oração:

Pai Santo, Vosso Filho Jesus 
conduzido pelo Espírito
e obediente à Vossa vontade, 
aceitou a cruz como prova de amor a humanidade.

Convertei-nos e, nos desafios deste mundo,
tornai-nos missionários a serviço da evangelização da juventude.

Para anunciar o Evangelho como projeto de vida,
envia-nos, Senhor;
para ser presença geradora de fraternidade;
envia-nos, Senhor;
para sermos profetas em tempos de mudança;
envia-nos, Senhor;
para promover a sociedade da não violência,
envia-nos, Senhor;
para salvar a quem perdeu a esperança,
envia-nos, Senhor;
para...
Letra/Hino
Letra:Gerson César Sousa
Música:Gil Ferreira e Daniel Victor Santos

1. Sei que perguntas, juventude, de onde veio
Teu belo jeito sempre novo e verdadeiro.
Eu fiz brotar em ti desde o materno seio (Cf. Jr 1,5)
Essa vontade de mudar o mundo inteiro.

Estou aqui, meu Senhor, sou jovem, sou teu povo!
Eu tenho fome de justiça e de amor, (Cf. Mt 5,6)
Quero ajudar a construir um mundo novo.
Estou aqui, meu Senhor, sou jovem, sou teu povo!
Para formar a rede da fraternidade,
E um novo céu, uma nova terra, a tua vontade.
(Cf. Ap 21,1; 2Pd 3,13)
Eis-me aqui, envia-me Senhor! (2x)(Is 6,8)


2. Levem a todos meu chamado à liberdade (Cf. Gl 5,13)
Onde a ganância gera irmãos escravizados.
Quero a mensagem que humaniza a sociedade
Falada às claras, publicada nos telhados (Cf. Mt 10,27).

3. Para salvar a quem perdeu a esperança
Serei a força, plena luz a te guiar.
Por tua voz eu falarei, tem confiança,
Não tenhas medo, novo Reino a chegar!
(Cf. Jr 1,4-10; Mt3,2; 19,11-27)



Cartaz:

A Igreja, ao iniciar esta caminhada quaresmal, tem os olhos fitos na cruz, donde emana a comunicação do amor de Deus por nós, na entrega de Jesus Cristo, para que Nele tenhamos a vida (cf. Jo 10,10). Este gesto do Senhor é redentor, pois Ele vence todos os males e mortes que nos afligem, nos salve e descortina para nós um horizonte de esperança, expresso no rosto da jovem.
A cruz convida à fraternidade entre todos os povos, raças e nações, representados pelas diferentes cores e linhas que a percorrem. as tags, vistas no alto do cartaz, acenam para a comunicação rápida, a circulação de informações e as novas ambiências para encontros, as quais devem ser perpassadas pela mensagem libertadora da cruz e contribuir para o projeto de uma sociedade justa e solidária, segundo o Reino.
A jovem, de braços abertos em forma de cruz, representa os que são transformados pela jovialidade comunicada pela ressurreição de Jesus, a boa nova por excelência, que nos fortalece. É com esse vigor que a jovem responde ao chamado de Deus, repetindo as palavras do profeta Isaías: "Eis-me aqui, envia-me!" (Is 6,8).
A Igreja com essa Campanha, cujo tema é "Fraternidade e Juventude", chama a atenção para os desafios dos jovens na edificação do projeto de Deus, dentro do contexto de mudança de época. É um período marcado pela instabilidade dos critérios de compreensão e dos valores (DGAE, nº20), pelas novas possibilidades de interação e desigualdade de oportunidades, com forte reflexo na vida dos jovens, quer das cidades, quer do campo.

Fonte: Manual da CF 2013/CNBB

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Continuaremos a chamá-lo de Bento XVI, diz porta-voz do Vaticano


O Papa Bento XVI poderá continuar sendo chamado de Bento XVI após sua renúncia. Isso foi o que disse o porta voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, 14, no Vaticano.

Respondendo aos jornalistas que indagavam sobre a forma como se referir ao Papa no futuro, Padre Lombardi explicou que “ainda não se tem clareza” se será “Bispo emérito de Roma”. Mas quanto ao nome “Bento XVI”, esclareceu que é um título ao qual não pode renunciar.  

“Penso poder reiterar que Bento XVI é um título ao qual não pode renunciar: é o seu nome como Papa, que levou para toda a Igreja e para todo o mundo oficialmente, por oito anos. Então certamente nós continuaremos a poder dizer que é Bento XVI. Isto não muda e não pode evidentemente mudar!”, disse o porta voz.

Sobre a viagem do Papa após 28 de fevereiro, ele explicou que serão Dom George Gaenswein, que permanece prefeito da Casa Pontifícia, e as “leigas consagradas da família pontifícia”, que já se ocupam da vida cotidiana do Papa, a acompanhá-lo primeiro para Castel Gandolfo, depois para o Vaticano. 

O porta voz também explicou que os cardeais que vão chegar ao Vaticano estarão a partir de 1º de março, não antes disso, na Casa Santa Marta. Ele confirmou que o conclave iniciará entre 15 e 20 de março, “a data será comunicada durante a sede vacante” e que seja o Cardeal Walter Kasper seja o Cardeal Severino Poletto poderão participar, porque completarão 80 anos em março. O limite previsto para o voto é para quem já completou esta idade no primeiro dia da sede vacante. 

Com relação ao encontro do Papa com os párocos e sacerdotes de Roma, realizado também nesta quinta-feira, padre Lombardi disse aos jornalistas que foi um “testemunho único do Concílio Vaticano II”. Mais uma vez, ele voltou a reiterar que a renúncia do Pontífice aconteceu por motivos de envelhecimento e que nem a queda durante a viagem ao México nem outras motivações influíram sobre sua decisão. 
Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Bento XVI envia mensagem para Campanha da Fraternidade





O Papa Bento XVI enviou uma mensagem aos brasileiros por ocasião do ínico da Campanha da Fraternidade nesta quarta-feira de Cinzas, 13. O Papa destacou que a Campanha é um estímulo em preparação à Páscoa e que de bom grado se une a esta iniciativa quaresmal da Igreja no Brasil.

Ao falar sobre o tema da Campanha “Fraternidade e Juventude”, o Papa recordou o pedido que fez aos jovens brasileiros quando esteve em São Paulo em 2007, para serem protagonistas de uma sociedade mais justa e fraterna inspirada no Evangelho, e explicou que na sociedade e na Igreja os “sinais dos tempos” surgem também através dos jovens e menospreza-los seria perder ocasiões de renovação.

Por fim, Bento XVI deixou um convite a juventude e fez votos que a quaresma seja frutuosa na vida dos brasileiros. "Convido os jovens brasileiros a buscarem sempre mais no Evangelho de Jesus o sentido da vida, a certeza de que é através da amizade com Cristo que experimentamos o que é belo e nos redime."


Íntegra da mensagem do Papa Bento XVI por ocasião do início da Campanha da Fraternidade


Queridos irmãos e irmãs,
Diante de nós se abre o caminho da Quaresma, permeado de oração, penitência e caridade, que nos prepara para vivenciar e participar mais profundamente na paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. No Brasil, esta preparação tem encontrado um válido apoio e estímulo na Campanha da Fraternidade, que este ano chega à sua quinquagésima realização e se reveste já das tonalidades espirituais da XXVII Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro em julho próximo: daí o seu tema “Fraternidade e Juventude”, proposto pela Conferência Episcopal Nacional com a esperança de ver multiplicada nos jovens de hoje a mesma resposta que dera a Deus o profeta Isaías: “Eis-me aqui, envia-me!”(6,8).
De bom grado associo-me a esta iniciativa quaresmal da Igreja no Brasil, enviando a todos e cada um a minha cordial saudação no Senhor, a quem confio os esforços de quantos se empenham por ajudar os jovens a tornar-se – como lhes pedi em São Paulo – “protagonistas de uma sociedade mais justa e mais fraterna inspirada no Evangelho” (Discurso aos jovens brasileiros, 10/05/2007). É que os “sinais dos tempos”, na sociedade e na Igreja, surgem também através dos jovens; menosprezar estes sinais ou não os saber discernir é perder ocasiões de renovação. Se eles forem o presente, serão também o futuro. Queremos os jovens protagonistas integrados na comunidade que os acolhe, demonstrando a confiança que a Igreja deposita em cada um deles. Isto requer guias – padres, consagrados ou leigos – que permaneçam novos por dentro, mesmo que o não sejam de idade, mas capazes de fazer caminho sem impor rumos, de empatia solidária, de dar testemunho de salvação, que a fé e o seguimento de Jesus Cristo cada dia alimentam.
Por isso, convido os jovens brasileiros a buscarem sempre mais no Evangelho de Jesus o sentido da vida, a certeza de que é através da amizade com Cristo que experimentamos o que é belo e nos redime: “Agora que isto tocou os teus lábios, tua culpa está sendo tirada, teu pecado, perdoado” (Is 6,7). Desse encontro transformador, que desejo a cada jovem brasileiro, surge a plena disponibilidade de quem se deixa invadir por um Deus que salva: “Eis-me aqui, envia-me!’ aos meus coetâneos” - ajudando-lhes a descobrir a força e a beleza da fé no meio dos “desertos (espirituais) do mundo contemporâneo, em que se deve levar apenas o que é essencial: (…) o Evangelho e a fé da Igreja, dos quais os documentos do Concílio Vaticano II são uma expressão luminosa, assim como o é o Catecismo da Igreja Católica” (Homilia na abertura do Ano da Fé, 11/10/2012).
Que o Senhor conceda a todos a alegria de crer n’Ele, de crescer na sua amizade, de segui-Lo no caminho da vida e testemunhá-Lo em todas situações, para transmitir à geração seguinte a imensa riqueza e beleza da fé em Jesus Cristo. Com votos de uma Quaresma frutuosa na vida de cada brasileiro, especialmente das novas gerações, sob a proteção maternal de Nossa Senhora Aparecia, a todos concedo uma especial Bênção Apostólica.
Vaticano, 8 de fevereiro de 2013
[Benedictus PP. XVI]
Fonte: Canção Nova

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Nota da Diocese de Piracicaba sobre a renúncia do Papa


Sentimo-nos surpreendidos pelo anúncio da renúncia do Papa Bento XVI, ocorrido na manhã desta segunda-feira, dia 11 de fevereiro, pois nada fazia pensar que tal fato poderia acontecer.
Admiramos a lucidez do Sumo Pontífice e sua responsabilidade diante da tarefa recebida. Ele sempre gozará de nossa admiração e de nossas orações.
Cremos na presença do Espírito Santo na Igreja. Confiamos que Ele guiará o Colégio Cardinalício na escolha de um novo Papa para o exercício tão importante do ministério petrino.
Para tanto rezamos e rezemos ao Senhor.

+ Dom Fernando Mason
Bispo Diocesano de Piracicaba


Fonte: Diocese de Piracicaba